Confira as dicas da APOGLBT para o final de semana

05/12/2009

Tenha um final de semana diferente. A APOGLBT deixa as dicas para você preencher este sábado (05) e domingo (06) com informação, passeios e cultura:

Sábado, às 10h – Mães e Pais LGBT
A reunião quinzenal da Associação da Parada, que trata do cotidiano das famílias homoafetivas, aborda neste sábado o tema “Preconceito na escola”.
O público alvo do grupo são lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais mães e pais biológicos, adotivos ou que pretendem gerar ou adotar uma criança, porém, a reunião é aberta a todos os interessados.
O encontro ocorre na sede da APOGLBT (Praça da República, nº 386, cj. 22, Centro – próximo à estação República do Metrô) e a participação é gratuita.
Informações: (11) 3362-8266

Sábado, das 10 às 20h – Ong Brasil 2009
A primeira feira internacional de ONGs no Brasil reúne mais de 200 entidades do Terceiro Setor que, além de prestar informações sobre seus trabalhos, comercializam produtos. Ótima oportunidade para fazer comprar de Natal e ao mesmo tempo contribuir com alguma causa social.
O evento encerra hoje no Expo Center Norte (Av. Otto Baumgart, nº 1000 – próximo à estação Tietê do Metrô) com entrada gratuita.
Visite o estande da APOGLBT (nº 375).
Informações: (11) 2224-5959 | www.ongbrasil.com.br

Sábado, às 21h / Domingo, às 20h – Tanto
O espetáculo de João Fábio Cabral faz suas ultimas apresentações neste final de semana. Discussões sobre amor, saudade e amizade entre homens é o tema desta montagem que tem o próprio autor à frente da direção.
A peça está em cartaz no Teatro Centro da Terra (Rua Piracuama, nº 19, Vila Pompeia), com ingressos a R$40 no sábado e R$30 no domingo (aceita meia-entrada mediante idntificação).
Informações: (11) 3675-1595 | www.centrodaterra.com.br

Anúncios

Revista IstoÉ traz matéria sobre filhos de LGBT

18/11/2009

Presidente da APOGLBT e sua filha são um dos destaques

Bruna ao lado de seu "pãe", Xande.

A resvista IstoÉ desta semana traz a reportagem “Filha, eu sou gay”, que fala de mães e pais que assumem sua homo-transexualidade para os filhos. O presidente da APOGLBT, Alexandre Santos, e sua filha Bruna são um dos destaques da matéria. Xande (como é conhecido) gerou Bruna antes de se identificar como homem transexual e, apesar da ótima convivência entre os dois, a filha do militante fala sobre os preconceitos que sofreu em nome do “pãe”.

“Tive um namorado que terminou comigo quando lhe contei. E tive amigos e pais de amigos que se afastaram por causa do preconceito”, revela Bruna ao jornalista Wilson Aquino, que assina a reportagem. Hoje com 18 anos, a jovem assegura que a identidade de gênero de Xande não a incomoda, porém, sua tranqüilidade não reflete os aborrecimentos e decepções que já enfrentou.

O presidente da Associação Brasileira de Gays, Oswaldo Braga, e seu filho Gabriel  são outros dois personagens abordados pela matéria. Gabriel soube que o pai era gay aos 15 anos e, por quase uma década, rejeitou a orientação sexual do progenitor. Atualmente, Gabriel diz se orgulhar de ter aprendido com o pai que o melhor mesmo é viver uma vida verdadeira. “Se os gays são minoria, eu sou a minoria da minoria, porque sou filho de pai gay”, acrescenta.

O jornalista ainda consulta a ex-desembargadora Maria Berenice Dias, vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito da Família, e a escritora Edith Modesto, fundadora do Grupo de Pais de Homossexuais (GPH). A reportagem  também cita a pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que visa dimensionar o universo de casais gays no país, a partir do ano que vem.

O site da revista disponibiliza a reportagem para leitura na íntegra, aqui.